Dia da Mulher: Uma Homenagem às Lutas Feministas

O Dia da Mulher sempre foi uma data com pouco destaque. Em um calendário recheado de feriados santos e datas comerciais, ele nunca foi nem um, nem outro. Não era motivo de reportagem no jornal – assim como ainda não o são diversos dos abusos que sofremos diariamente. Sempre foi uma comemoração silenciosa, e o máximo que acontecia era ganharmos “parabéns” ou uma rosa (essas que invejei sempre nos meus anos de criança). Porém, é uma data muito significativa.

As lutas das mulheres por direitos iguais são o motivo da existência do Dia Internacional da Mulher. A data foi reconhecida pela ONU no final anos 70, já mais de cinquenta anos depois de sua criação. É a comemoração de direitos alcançados, como o voto, a liberdade e a independência, entre outros. É a comemoração do direito a ser igual. No entanto, comemoração das vitórias das mulheres não é motivo para pararmos de lutar. E essa luta tem valido a pena.

Feminilidade Natureza Sofia Bonati
Arte: Sofia Bonati

O movimento feminista, nos últimos anos, ganhou muita visibilidade. Os protestos a favor da liberdade feminina, tanto física quanto intelectual, tem ganho volume. O combate ao machismo tem ganho adeptos. Questões como as diferenças entre as mulheres que compõem o movimento passaram a ter mais atenção. A mulher branca, a mulher negra e a mulher indígena; a mulher pobre e a rica; a mulher da cidade e a do campo; cada uma sofre uma opressão diferente. E essas diferenças tem grande importância, que se refletem em formas diferentes de resistência para cada uma.

Um Retrato das Resistências

Essas resistências têm se feito notar. Apesar de ainda não serem bem aceitas por parte majoritária da sociedade, em alguns âmbitos, como o das Artes, elas têm sido retratadas e, em alguns casos, homenageadas. Entre essas homenagens, está a do artista juizforano Beto Martins. Através da observação das mulheres ao seu redor, Beto criou uma coleção inteira de artes homenageando a mulher negra, chamada Africanidades. A coleção trouxe para o papel a reafirmação das raízes africanas, através do retrato das formas de resistência estética mais comuns usadas pelas mulheres negras nos dias atuais. Resistência essa não só ao patriarcado, como à sociedade racista em que ainda vivemos.

Pela legitimidade, força e beleza desses atos de resistência, a Bodoque transformou a Africanidades em caderno. Em comemoração ao Dia Internacional das Mulheres, o lançamento dessa coleção é a nossa forma de exaltar a resistência e luta dessas mulheres que, de forma ainda mais especial e em ainda mais âmbitos, buscam seu espaço de igualdade na sociedade.

Os cadernos já estão disponíveis na nossa loja. São cinco modelos, no tamanho a6, para que cada uma escolha a  arte com que mais se identifica. Em meu nome e no dos meus colegas da Bodoque, desejo que todas as mulheres possam se sentir homenageadas no dia de hoje, e desejo a nós muita força para continuarmos nessa luta que, infelizmente, não há de acabar tão cedo.

*texto escrito por Carol Cadinelli, aprendiz de jornalista, feminista, mulher.

Dia da Mulher: Uma Homenagem às Lutas Feministas
Classificado como:                        

Uma opinião sobre “Dia da Mulher: Uma Homenagem às Lutas Feministas

  • 21 de maio de 2017 em 20:18
    Permalink

    Oi pessoal
    Esse site é mesmo surpreendente, queria dar os parabéns pelo trabalho de vocês.
    Sempre é bom obter novos conhecimentos, obrigado ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *