Caderno Fictício: O Diário de Into The Wild

Quem nunca pensou em largar tudo e viver viajando? Esse, que é o sonho de muitos, foi realizado no início dos anos 90 por um jovem recém formado. Infelizmente, o final de sua aventura não foi tão feliz quanto se esperava. Into the Wild, you can never know what will happen.

Into The Wild,  conhecido no Brasil como ‘Na Natureza Selvagem’, é um filme de 2007. A história é baseada no livro de mesmo nome, lançado em 1996.  Ambos contam a história do jovem Christopher Mccandless, recém formado na faculdade. Originário de clásse média-alta, McCandless abandona sua vida comum para viver uma grande aventura. Doa todo seu dinheiro a uma ONG, coloca poucas coisas em sua mochila, abandona seu nome e parte em uma aventura. Ele, agora, é Alexander Supertramp, em busca de viver uma história no estilo Jack London, em harmonia com a Natureza Selvagem.

Bodoque, 365, Into The wild
Cena do filme: Into the Wild” dirigido por Sean Penn, 2007.

Chris/Alex é um personagem real. Seu corpo foi encontrado no fim de 1992 dentro de um ônibus abandonado, ao norte do Monte McKinley, no Alasca. O jovem Chris abandonou sua família em meados dos anos 90 para partir em sua jornada. Durante dois anos, McCandless passou por diversos estados americanos, tendo experiências que jamais cogitaria em sua vida anterior. Criou laços com pessoas que jamais veria de novo. Criou memórias que jamais poderia esquecer.

Em meados de 92, Alex chegou a seu destino, no qual pretendia passar poucos meses vivendo do que a natureza tivesse a oferecer. Encontrou e se hospedou em um ônibus abandonado, na companhia de alguns livros, um rifle e um diário. Diário esse que permitiu que sua história fosse contada.

Um Relato de Into The Wild: O Diário de Alex

Foram encontradas, junto aos pertences de Alex no ônibus, algumas folhas escritas por ele. Essas folhas continham 113 notas sobre o tempo que o jovem passara em isolamento, na natureza selvagem. O conteúdo escrito não consistia em registros literais de acontecimentos, o que fez com que o chamado diário fosse alvo de muita curiosidade. Alex, em seus escritos, fazia reflexões profundas sobre a vida solitária que levava e sobre o ambiente selvagem em que vivia. O jovem falava de forma pouco clara. Seu diário parecia feito para que apenas ele próprio entendesse as situações por trás das reflexões. Contudo, os investigadores do caso tinham também uma outra fonte de informações: as fotografias da viagem.

Apesar de ter escrito pouco antes de chegar ao ônibus, os dois anos de viagem até o Alasca também foram registrados. Alex carregava consigo uma câmera Canon, que registrou boa parte das amizades que o jovem fez durante a viagem e os melhores momentos da jornada, em forma de paisagens ou autorretratos. Essas fotografias foram encontradas nos pertences de Alex.

Autorretrato de Christopher Mccandless em frente ao “ônibus mágico”

A pouca escrita em forma de diário, porém, não significava o pouco registro, em geral. Alex fez amigos na estrada e, vez ou outra, enviava postais àqueles que tinha deixado pelo caminho. O jovem informava aos amigos onde estava – através da foto do postal – e que estava bem. Esses postais também foram de extrema importância para que investigadores descobrissem quem era e o que fazia o homem no ônibus.

A história de Alex pôde, então, ser contada através desses registros. Eles continham sua identidade e seus sentimentos, possibilitando o jovem fosse lembrado. Permitindo que jornalistas, escritores e diretores o recriassem em seus meios.

As adaptações da história

Na época em que foi encontrado o corpo no ônibus, os jornais e revistas de atualidades noticiaram o acontecido de forma intensa. Não satisfeito com uma reportagem de nove mil palavras na revista Outside, o jornalista Jon Krakauer passou a investigar mais a fundo a história de Alex. Essa invstigação originou o livro Na Natureza Selvagem, publicado em 1996. A obra consiste em um livro-reportagem, que traz uma mescla dos acontecimentos descobertos sobre a vida de Alex com as experiências investigativas do autor.

Baseado no livro de Krakauer, foi feito, em 2007, o filme Na Natureza Selvagem. Dirigido por Sean Penn, o filme arrecadou mais de 55 milhões de dólares nos EUA. Além disso, recebeu duas indicações ao OSCAR e figurou na lista de melhores filmes de 2007 pela imprensa especializada. Com uma fotografia selvagem muito bem feita e a trilha sonora de Eddie Vedder, o filme também entrou para os favoritos de muita gente.

Poster do filme Into the Wild, 2007.

Mais tarde, os registros de Alex deram origem a um livro, em 2011, chamado ‘De Volta à Natureza Selvagem’ (Back to the Wild). A obra, atribuída a Chris McCandless, é um compilado de fotografias, escritos e postais da viagem. Infelizmente, ainda não existe uma tradução para Português, e nem previsão para que isso aconteça.

Atualmente, o filme ainda faz muito sucesso, principalmente entre os amantes do pé na estrada. Apesar de seu final triste, Alex é inspiração para muitas pessoas de espírito livre.

Se você não conhecia a história e ficou curioso pra conhecer, corre lá na Netflix que o filme (ainda) está disponível! Agora, se você for mais da leitura e menos da TV, o livro Na Natureza Selvagem ainda está à venda nas melhores lojas! É só escolher a sua mídia favorita e aproveitar o fim de semana!

————————————————————————————————————-

Gostou do post e quer continuar sabendo curiosidades sobre os cadernos da ficção? Acompanhe nossa coluna Cadernos Fictícios aqui no blog, todas as sextas feiras, às 18h!

Se você ficou com vontade de manter um diário para registrar os momentos mais legais de sua viagem, dê uma olhada na nossa loja e escolha o diário que faz mais o seu estilo!

Você chegou aqui já conhecendo a história e já é um dos apaixonados por Into The Wild? Confere aqui então esses caderninhos lindos temáticos! Eles são um dos frutos da parceria entre a 365 Filmes e a Bodoque! Lá na 365 você também encontra mais conteúdo sobre Into The Wild e muitos outros filmes!

Caderno Fictício: O Diário de Into The Wild
Classificado como:                    

4 opiniões sobre “Caderno Fictício: O Diário de Into The Wild

  • 29 de novembro de 2017 em 07:16
    Permalink

    Somebody necessarily lend a hand to make significantly posts I might state. This is the very first time I frequented your website page and thus far? I surprised with the analysis you made to make this actual publish incredible. Magnificent job! edkkegbkdbdg

  • 21 de setembro de 2017 em 01:50
    Permalink

    I have learn some good stuff here. Certainly price bookmarking for revisiting. ekeccdceeefc

  • 17 de setembro de 2017 em 00:53
    Permalink

    Этот вид отопления можно назвать не только экономным, но и полезным для выращивания здорового богатого урожая http://www.ristroy.ru. Облицовку дома сайдингом разумно будет объединить с утеплением фасада.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *